quarta-feira, 8 de agosto de 2012

Educação: Senado aprova cotas para 50% das vagas nas universidades federais


O Senado aprovou, na noite de terça-feira (7), projeto que regulamenta o sistema de cotas raciais e sociais nas universidades públicas federais em todo o país. Pelo texto, relatado pela senadora Ana Rita (PT-ES), metade das vagas nas universidades deve ser separada para cotas.
A reserva será dividida meio a meio. Metade das cotas, ou 25% do total de vagas, será destinada aos estudantes negros, pardos ou indígenas de acordo com a proporção dessas populações em cada Estado, segundo o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). A outra metade das cotas será destinada aos estudantes que tenham feito todo o segundo grau em escolas públicas e cujas famílias tenham renda per capita até um salário mínimo e meio.

Para os defensores da proposta, esse modelo que combina cotas raciais e sociais é o mais amplo e uniformiza as políticas de reserva de vagas que existem nas diversas universidades federais.

O projeto de regulamentação da política de cotas foi aprovado depois que o Supremo Tribunal Federal declarou ser constitucional esse tipo de ação afirmativa nas universidades. A aprovação da matéria foi em votação simbólica, pela maioria dos senadores presentes. O projeto já passou pela Câmara e segue agora para sanção da presidente Dilma Rousseff.

F: Carta Capital

3 comentários:

  1. É cansativo, mas eu tenho o prazer de dizer que o Brasil é um País VERGONHOSO!
    Defasa cada vez mais o ensino nas escolas públicas, e como a única solução para os que nelas estudaram, criam cotas.
    Se ao invés de formar alunos despreparados, o Brasil investisse mais na educação, podem ter certeza que não precisaríamos desse "favor" que são as cotas.

    ResponderExcluir
  2. PSD: partido sem destino : um novo jeito de fazer politica: oferecendo chuteiras, pisos, cimento, blocos e alguns troquinhos esse é seu jeito de fazer politica kaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaa.

    ResponderExcluir
  3. uma politica comprada fica difícil para o gestor fazer alguma coisa

    ResponderExcluir